João Doria ainda vai se prejudicar com esse discursinho de “social democracia”

João Doria ainda vai se prejudicar com esse discursinho de “social democracia”

Não chega a ser surpresa que João Doria tenha um discurso social-democrata, por vezes em excesso. Ele próprio se identifica assim, e já chegou ao equívoco de dizer que preferiria que Hilary ganhasse nos EUA em vez de Trump, o que considero completo disparate.

Em entrevista recebe para o blog Glamurama, Doria afirmou o seguinte:

Não acho que o mundo esteja dando uma guinada à direita. Sinto isso mais como um movimento pontual. Onde as esquerdas foram muito incompetentes, insensíveis, ideológicas demais, sindicalizadas em excesso, protecionistas no plano do abuso, houve uma reação popular natural – aí, o discurso mais à direita sensibiliza. Onde a esquerda teve a capacidade de ser mais social-democrata, mais permeável, ainda que tendo como princípio proteger os mais pobres e os mais humildes, ela se consolidou. A própria Angela Merkel não é de direita, é social-democrata, e consegue estabelecer equilíbrio entre o setor produtivo, a classe trabalhadora e os sindicalistas. Havendo equilíbrio, esse convívio é perfeitamente possível. Ela não deixou acontecer o que houve na França, por exemplo. Lá, você concede, concede, concede e – pum! – crise, crise, crise. Aí, a Marine Le Pen acaba tendo chance de se eleger agora.

O erro já começa quando o prefeito, ao menos em discurso, parece acreditar que é postura “de esquerda” se preocupar com os mais pobres e humildes. Desde quando isso é verdade? Certamente não temos exemplos práticos de sequer um governo de esquerda – radical ou não – que não tenha prejudicado os mais pobres. Em seguida, ao citar o caso de Angela Merkel e reconhecer o óbvio – que ela não é mesmo de direita – ele também parece ignorar que a chanceler alemã é, de longe, uma das piores lideranças do primeiro mundo na atualidade.

Ademais, nunca é excesso lembrar, foi a social-democracia a principal responsável pelo adoecimento do mundo ocidental, especialmente na Europa. Há poucos anos países como Suécia, Alemanha e França poderiam se orgulhar da educação, da qualidade de vida, da segurança que possuíam e de economias estáveis. Hoje, após algumas décadas de políticas social-democratas, estes países enfrentam crises – tanto econômicas como também sociais e até políticas – que não enfrentavam desde o pós-guerra.

O nome de Doria surgiu como alternativa para a presidência em 2018, o que ainda não é uma certeza, já que ele próprio pode optar por não ser candidato. De qualquer forma ele é, ainda, uma alternativa válida dentro da nossa realidade. O que vai acontecer é que se Doria persistir com esse tipo de discurso, ficará cada vez mais difícil distanciá-lo dos tucanos comuns, o que é um problema. Desse jeito vamos acabar ficando com algum extremista de esquerda no poder novamente.

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 36
  • comment-avatar
    tomás marabo 6 dias

    mas que discursinho de “direita true” pra cima do Doria….

    • comment-avatar
      Cauê 6 dias

      Sou completamente a favor de criticar quem precisa ser criticado seja quem for. Mas este caso me pareceu também um discurso meio de “direita true”.

      Doria é um político e provável que prefira não se assumir “de direita” por culpa exatamente dos direitistas true, que são aberrações gritonas com as quais Doria não quer ficar associado. Aliás, ninguém de bom senso quer ficar associado com olavetes, bolsonaretes, essa turma que não passa de uma petêzada ao contrário.

      • comment-avatar
        luiz 6 dias

        correto

      • comment-avatar
        Debora 6 dias

        Todas as atitudes de Doria o caracterizam como alguém de direita, ao menos até agora. Esquerdistas não fazem o que ele faz. Veremos…

      • comment-avatar
        Marcos 5 dias

        Claro, porque é muito melhor se associar a esquerda, já que ela nem tem aberrações histéricas. Não há ninguém de esquerda agredindo opositores, roubando dinheiro público e defendendo ditadores.

        Existe uma diferença entre ser direita “true” e não aceitar ser um mero penduricalho do tucanismo.

        Há meia dúzia de temas em que o Dória precisa ser apertado para saber se ele é viável.

        • comment-avatar
          Cauê 5 dias

          Errado. Se Dória quisesse se “associar a esquerda”, como você diz, não teria sido oposição ao Haddad e Erundina nas eleições passadas, nem atacaria o Lula como ataca, não teria declarado guerra aos pichadores que esquerdista adora ver pichando o muro dos outros, e nem faria tantas parcerias com a iniciativa privada.

          Os direitistas true se apropriaram de tudo que significa “direita” (se não for true, não é direita simplesmente, de acordo com eles) do mesmo modo que a esquerda se apropriou do valor BÁSICO de ajudar o próximo. Quem for esperto ficará de fora dessa jogatina.

    • comment-avatar

      Está correta a análise do Ayan. Também é importante não confundir Bolsonaro – que apoia a ditadura – com “direita”. A esquerda também promove só ditaduras! O que o Brasil precisa é de liberdade economica e social e partidos de esquerda nao promovem nem uma e nem outra.

  • comment-avatar

    Será que ele realmente acredita nisso ou está falando o que determinadas pessoas querem ouvir?

    “O poder é como o violino: pega-se e segura-se com a esquerda, mas toca-se com a direita”

    • comment-avatar

      Uma das maiores lições do blog se perde aí mesmo: não é o que você diz, mas o que quer obter. Não temos que encarar tudo como jogo pelo poder?

      O Dória faz um “recorte” daquilo que não recebe tantas críticas, mas ainda pode trazer alguns votos a mais com isso.

      Parece uma aposta. Uma forma de trazer o partido e alguns votos da “esquerda decepcionada” (idiotas úteis) para si.

      Só falta saber (e isso ele consegue em pesquisas de intenção de voto) se esses votos que ele pode conseguir são em maior quantidade do que os votos que ele pode perder.

  • comment-avatar
    Mathias 6 dias

    Luciano, você já considerou a hipótese de que o Dória usa essa definição de social-democrata como estratégia política da mesmo forma que usa o termo gestor ao invés de político?

    Nesse sentido ele está certo, pois assim se isola de grupos -vulgo bolsominions – que não atrai votos e atrai imagem negativa de todos os lados.

    Penso que seja uma posição de marketing e imagem do prefeito, se desvincular de algo negativo. Muitas vezes ele também já se definiu como LIBERAL, acho que ele deveria voltar a usar este termo também.

    • comment-avatar

      É possível. É estratégia arriscada.

      • comment-avatar

        Acredito que tenha dito antes: tem cara de “aposta”. Mas é bem arriscada.

        Principalmente porque parte da aposta é tentar ganhar simpatizantes dentro do partido. E já sabemos que simpatia do partido = antipatia da população.

    • comment-avatar
      Paulo 3 dias

      Essa história de que ele está “selecionando” temas para não se desgastar é auto-engano, para dizer o mínimo. Já vi esse filme com o Kassab. E outra, o Dória não é prefeito? Já não está na máquina? Realmente, algumas pessoas vivem num mundo de faz de conta.

  • comment-avatar
    romulo_sjc 6 dias

    “Desse jeito vamos acabar ficando com algum extremista de esquerda no poder novamente”

    Pode ser com os votos da maioria imbecilizada do País….com MEU voto jamais partidos como PT, PCdoB, PSOL,REDE, PDT e PSTU….vão contar…

  • comment-avatar
    Leandro Campos 6 dias

    “O erro já começa quando o prefeito, ao menos em discurso, parece acreditar que é postura “de esquerda” se preocupar com os mais pobres e humildes. Desde quando isso é verdade?”

    Mas ele (apesar de parecer algo bom) não está fazendo exatamente isso? Ajudar moradores de rua, remédios para população, zerar pedidos de exames. É o mesmo processo, por isso ele é e está em um partido social-democrata

    • comment-avatar

      Mas fazer isso principalmente a partir da ajuda privada é a antítese da social-democracia. A social-democracia usa a “ajuda aos pobres” como pretexto para inchar estado e ganhar dinheiro.

      • comment-avatar
        Leandro Campos 6 dias

        Certo, vamos aguardar os próximo capítulos

    • comment-avatar
      studiozbr 6 dias

      “Ajudar”, “se preocupar com os desfavorecidos”, “doar”, “voluntariar”… estas são qualidades HUMANAS, não tem nada a ver com esquerda ou direita. Se algum grupo ou legião política se apropria dessas qualidades para se diferenciarem dos adversários é apenas oportunismo político, nada mais que isso.

      • comment-avatar
        Leandro Campos 6 dias

        Se você quer ajudar alguém, ótimo, mas não pegue meu dinheiro (impostos=roubo) para dar aos outros.

        Muito simples e objetivo, bate com o que falou

        ” Se algum grupo ou legião política se apropria dessas qualidades para se diferenciarem dos adversários é apenas oportunismo político, nada mais que isso.”

    • comment-avatar
      studiozbr 6 dias

      Recomendo a leitura do artigo publicado na Scientific American do Brasil em 2012, “Por que razão nos ajudamos?” de Martin Novak, para ver que o que nos move a ajudar os outros passa longe de ser uma questão de lado político http://docslide.com.br/education/por-que-razao-nos-ajudamos.html

      • comment-avatar
        Leandro Campos 6 dias

        Parei de ler quando começa a falar de cooperação de células para a evolução

        • comment-avatar

          Então cometeu um erro grave (na verdade, dois): não se refuta um argumento com “parei de ler depois de X”. E sim com “X está errado por Y, e invalida o que você diz”.

          (O primeiro erro é não ler tudo para contra argumentar. O segundo é não apontar algo que sustente o “parei de ler”).

          NÃO, NÃO ESTOU DIZENDO QUE VOCÊ ESTEJA ERRADO, mas sim que “parei de ler depois de X” não é argumento válido por si só.

          • comment-avatar
            Leandro Campos 3 dias

            E quem disse que quero contra argumentar algo?

            Quer acreditar em evolução, vai nessa, principalmente com células cooperativas. Essas células são incríveis, elas se entendiam e cooperavam pelo bem maior, um dia se tornar algo mais complexo, mesmo sem saber o que

            E aí, viu agora onde está o erro ou para onde estou apontando?

  • comment-avatar
    antonio barbosa 6 dias

    O medo de Bolsonaro escancara qualquer político apadrinhado. Dória não tem partido. É apenas um empresário que se filiou ao PSDB porque recebeu uma proposta do governador para se tornar uma nova opção viável aos políticos tradicionais do seu partido que já estavam desgastados e delatados na Lava-Jato. Foi uma batalha duríssima dentro do PSDB e somente com a convicção do governador que ele pode seguir em frente, porque todos os demais caciques do partido não o queriam lá. Agora ele faz o jogo de cena para ajudar o partido, porque sabe que Bolsonaro está com ampla vantagem nas pesquisas e que não existe um único candidato do seu partido, exceto ele mesmo, que possa concorrer com Bolsonaro. O governador cara de chuchu não dá nem para largada e o resto está denunciado na Lava-Jato. Dória é empresário e portanto capitalista e por conseguinte de direita. O resto é conversa mole.

    • comment-avatar
      Claudio Antonio Bertier 3 dias

      Antonio Barbosa o que você quis dizer com “Dória é empresário e portanto capitalista e por conseguinte de direita”? Por acaso ser empresário é ser criminoso? Ser de direita ou de esquerda são termos arcaicos pois nos países que mais se desenvolveram esse tipo de discussão já ficou para traz, Ser extremista é o que provoca grandes distúrbios. Populismo, jogar para a torcida, provoca, muitas vezes, sensação de conforto para o povo (a que custo, como estamos vendo agora). O Dória, como você mesmo cita, teve de lutar muito dentro do PSDB para se tornar candidato. Teve um padrinho (“governador cara de chuchu”, como você mesmo diz). Esse governador foi contra todos os caciques do partido e ao fazer Dória candidato, fortaleceu-se em relação a outros presidenciáveis. O que não sabia é que Dória colocaria algumas coisas em prática (terminou a fila de consultas) que o fizeram ser conhecido em todo Brasil. Aposto que o governador está incomodado com isso mas eles se mantém como parceiros e em todo encontro dos que a mídia esteja presente o Dória exalta o governador. É uma postura protocolar.

  • comment-avatar
    Carlos 6 dias

    Do Implicante: “Plano da Gestão Doria: até 2020, todos os ônibus de São Paulo com wifi e ar-condicionado”
    O Doria pode fazer o que quiser com o dinheiro dele. Passagem de ônibus é subsidiado. Toda a população paga metade dessa conta. Quer luxo? O usuário tem que pagar mais caro. O ar condicionado aumenta em 20% o custo do transporte. Quem quiser que pague.
    Antagonista: “No seu último dia em Seul, João Doria elogiou o incentivo da prefeitura local para que os sul-coreanos andem de bicicleta. Se você achou que se livraria das ciclovias com a derrota de Haddad, veja o que pode ser a versão de Doria.”
    No vídeo, o Doria falou a palavra mágica: “sustentável”, proferida por 100 de cada 100 esquerdopatas cuja única missão é enganar os incautos.

  • comment-avatar

    O doria poem um marxista contra o escola sem.partido na educação e o pessoal socialista na cultura e vocês comemorando um possível ônibus com wifi e fingindo que ele pode nao ser tão esquerdista assim.
    Qual o problema com vocês?

  • comment-avatar
    Carlos 6 dias

    O Dória agora está se revelando. Meio esquerdinha, meio imbecil…
    Só é bom porque isso facilitará o caminho do Bolsonaro… Para desespero da boiolada.

    • comment-avatar
      dagc 3 dias

      Comentario desnecessario.. Gays pro liberdade votariam a favor do liberalismo classico

      • comment-avatar
        Carlos 2 dias

        Mas eu não me referi a você, e sim aos gays militantes, tipo cauê e jean willis

  • comment-avatar

    “Onde a esquerda teve a capacidade de ser mais social-democrata, mais permeável, ainda que tendo como princípio proteger os mais pobres e os mais humildes, ela se consolidou.”

    É até justificável q Doria tenha dito em época de campanha q preferia Hillary. Ele declarou q assiste Fake News (Globo News). E quem só acompanha política externa por esse lixo ñ poderia pensar de outra forma.
    Mas, sinceramente, não acredito q o Doria seja burro – um idiota útil – em termos de ideologia. O mesmo já deu umas declarações bem assertivas, falando q esquerdista não trabalha. Portanto, só posso pensar q essa declaração dele sobre a social democracia é pensada e não passa de desonestidade.

    A social democracia, como o Luciano Ayan frisou num dos comentários, incha o Estado através do assistencialismo. Portanto, não é correto afirmar q a esquerda se preocupa com os pobres; Ela se preocupa é com o poder, q se dá com o aumento de impostos e do tamanho da máquina estatal.

    Não haveria mal nenhum para a figura pública de Doria se ele afirmasse ñ ser de esquerda nem de direita, mas sim um liberal (muitos fazem isso para ñ ficarem com o rótulo de direita). Mas ele prefere ficar do lado da social democracia, servindo de bote salva vidas para a esquerda geral embarcar, ao mesmo tempo q usa de medidas liberais para tocar seu mandato.

    Acho q a postura da direita que compreende guerra política em relação a Doria deve ser de exaltar suas ações e medidas q dão certo, classificando-as como medidas liberais ou de direita. Assim, exalta-se a ideia ao invés da figura de Doria. E qualquer um q adotasse ou apoiasse tais medidas teria sucesso.
    O q ñ podemos deixar acontecer é Doria, se utilizando de medidas liberais, ficar rotulado como uma esquerda q deu certo. Esse seria um erro monumental.

  • comment-avatar
    André Meneses 6 dias

    Você está sendo paternalista com Dória ao minimizar o peso de suas atitudes. Há um esforço em querer acreditar que ele não é uma cara de esquerda. Peço que reanalise e que o ceticismo político volte a dirigir os textos do site.
    Vejo que o Socialismo FABIANO é realmente perigoso. Fica a dica

  • comment-avatar
    André Meneses 5 dias

    Ser paternalista com Dória ao querer acreditar que não é esquerda, contradiz todos os textos que li aqui neste site. Dória mesmo já declarou que é, e suas intenção é a social democracia.

  • comment-avatar
    Alexandre 5 dias

    Querer que um tucano não reze pela cartilha do FHC e do George Soros é a mesma coisa que querer que o presidente do Corinthians seja palmeirense.

    • comment-avatar

      Você pode até ter intenção de estar certo, MAS sua frase nada significa pelo final dela: “é a mesma coisa que querer que o presidente do Corinthians seja palmeirense”.

      Presidente de time, técnicos, jogadores… não precisam ter fidelidade a times, e sim fazer o trabalho bem feito. Por isso mesmo um jogador X pode ser vendido a outro time (até mesmo um time rival).

      Então sua intenção foi uma, mas o resultado foi outro.

  • comment-avatar

    A esquerda prepara a invasão do Brasil pela abertura das nossas fronteiras
    e não há, aqui, um mísero post que seja sobre o assunto?