“Eu não acho que foi maligno”, diz jornalista da CNN, sobre vídeo de tortura em Chicago

“Eu não acho que foi maligno”, diz jornalista da CNN, sobre vídeo de tortura em Chicago

O apresentador da CNN Don Lemon disse que o vídeo de tortura em Chicago – onde vemos quatro esquerdistas torturando um eleitor de Trump – não foi “maligno”.

O convidado Matt Lewis havia dito: “O fato da vítima ser uma pessoa vulnerável que foi enganada para ir com eles aumenta a gravidade. Parece que o fato de ser uma pessoa com problemas mentais torna tudo ainda mais repulsivo. Mas no fim das contas, chegamos no fato de que tudo isso é pura maldade. Isso é o que vemos ali: é algo maligno. É brutalidade. É a desumanidade do homem contra o homem”.

Don Lewis rebateu: “Eu não acho que é maligno Eu acho que esses adolescentes apenas não tiveram a educação adequada. Quero dizer: quem está educando essas crianças? Eu não tenho ideia de quem seja. Pois ninguém que eu conheça sobre a Terra – tenha 17 ou 70 anos – iria pensar em tratar outro ser humano daquela forma. É desumano. E você imagina: aos 18 anos de idade, onde estão os pais daqueles garotos?”.

Como vimos anteriormente, outra esquerdista, Symone Sanders, não queria sequer que o caso fosse rotulado de crime de ódio. Agora temos Don Lemon se recusando a visualizar algo de maligno na barbárie. Ou seja, em nome do esquerdismo, qualquer atrocidade está completamente liberada de críticas reais. Para validar atos monstruosos como a tortura de Chicago, é preciso de jornalistas esquerdistas moralmente monstruosos.

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 1
  • comment-avatar
    emersonluispsy 4 meses

    A reportagem da Folha estava indo razoavelmente bem, mas tinha que esquerdalizar no final:

    http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2017/01/1847446-promotoria-denuncia-4-por-agressao-a-jovem-branco-exibida-ao-vivo-nos-eua.shtml