Manifestante de extrema-esquerda ataca homem por causa de placa pedindo liberdade de expressão

Manifestante de extrema-esquerda ataca homem por causa de placa pedindo liberdade de expressão

Um dos principais truques da esquerda é utilizar o “mas” ao tratar a liberdade de expressão. Envergonhados por dizerem que são censores naturais, afirmam “a liberdade de expressão é importante, mas não podemos tolerar o discurso de ódio”. Em seguida, evitam dar uma definição para “discurso de ódio”, que significa tudo que discorda da visão de mundo deles. Sem a vagueza intencional, o truque falha.

Agora o que vemos vai além: uma manifestante de extrema-esquerda, nos EUA, resolveu atacar uma placa que dizia “o direito de discutir ideias abertamente deve ser defendido”. Ou seja, até mesmo abandonaram o truque do “mas” e reconheceram que são inimigos da liberdade de expressão.

No vídeo abaixo, de Paul Joseph Watson, vemos o total descaramento na defesa da censura. Curiosidade: a miliciana “antifa” chamou o oponente de “escória nazista”. Porém, aqueles que historicamente proibiram a livre expressão foram os marxistas, fascistas e… nazistas.

2017 é 1984!

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 6
  • comment-avatar
    André Lima 6 dias

    Só uma correção: não foi nos EUA, mas UK.

  • comment-avatar
    studiozbr 5 dias

    Retrato fiel dos tempos atuais.

  • comment-avatar
    Ogor 5 dias

    São os anti-racismo que praticam racismo, os anti-facismo que praticam facismo e os pró democracia que praticam censura… vergonha alheia dessa esquerda totalitária e psicótica.

  • comment-avatar
    Renato 5 dias

    Vejam isso:

    Ministro israelita: “Chegou o momento para assassinar Assad“

    O presidente sírio deveria ser assassinado – essa é a opinião de um ministro israelita. Segundo o político, Assad seria mais perigoso do que o IS e outras organizações terroristas

    Joav Galant, ministro da infraestrutura e general reformado, incitou ao ódio durante uma conferência de segurança nas proximidades de Jerusalém: “Na minha opinião, chegou o momento para assassinar Assad”.

    O cidadão de 58 anos culpa o presidente sírio de ter cometido crimes jamais vistos desde o suposto “holocausto judeu”: “Na Síria, pessoas são executadas, são alvos de ataques com armas químicas, e agora seus corpos são também incinerados – algo que não vivenciamos há mais de 70 anos”, declarou Galant.

    Assad teria ultrapassado a linha vermelha e seu comportamento na Síria não é nada mais do que um “genocídio” com “centenas de milhares de mortos”, afirmou o ex-general.

    Assad mais perigoso do que IS, Irmandade muçulmana e Al-Qaeda

    Galant baseou suas afirmações em um relatório do governo norte-americano, que acusara nesta segunda-feira o governo sírio de executar em massa prisioneiros militares e queimar seus corpos em crematórios.

    Segundo o ministro, Assad e seu aliado financiado pelo Irã, o Hezbollah, seriam mais perigosos do que o Estado Islâmico (IS) e outras organizações sunitas. “O mundo irá acabar com o IS, a Irmandade Muçulmana e a Al-Qaeda”, pois estas grupos terroristas não estariam recebendo o mesmo apoio que Assad e o Hezbollah, afirmou o ex-general.

    A morte de Assad, segundo o ministro israelita, teria um significado geopolítico: “Se resolvermos o rabo da cobra, podemos também alcançar sua cabeça, que está em Teerã”.

    A uma pergunta do Times of Israel, Galant respondeu estar ciente que específicos assassinatos políticos são ilegais – ele “não falou em termos práticos” – mas “alguém que assassina pessoas e queima seus corpos, não tem lugar neste mundo”, acrescentou o ministro.

    http://www.timesofisrael.com/israeli-minister-the-time-has-come-to-assassinate-assad/

    Assad mais perigoso do que IS, Irmandade muçulmana e Al-Qaeda
    !
    Me diz ai Luciano: Vai rolar alguma critica ao governo globalista de Israel ou você vai ficar batendo em alguns e polpando outros?

    • comment-avatar
      fnd 5 dias

      Que Israel apoia ISIS e tem grande influencia a politica americana(ao contrario da narrativa de que a Russia influenciou todas as eleições no mundo), isso não é surpresa para ninguém (ou pelo menos não deveria ser). Detalhe importante: a mídia americana tinha amenizado para Trump depois do ataque de misseis na Síria, mas parece ter voltado a histeria normal apos a demissão do diretor do FBI.

      Não espero que Luciano ou quem quer que seja neste blog vá criticar o estado de Israel(politica interna ultraconservadora e politica externa globalista), devido as pautas anteriores. Mas é sempre bom lembrar esses detalhes nos comentários para poder irritar os xeno patriotas sionistas.

      • comment-avatar
        Renato 5 dias

        Trump é outro subserviente aos grupos sionistas…Ele fazendo o papel, que praticamente todos os presidentes americanos fizeram, de fazer aquilo que os patrões sionistas mandam, ele passará a ser elogiado pela imprensa sionista.