O golpe da lista fechada se ampara no golpe do financiamento público. Solução: derrubar ambos.

O golpe da lista fechada se ampara no golpe do financiamento público. Solução: derrubar ambos.

A primeira justificativa de quem defende o golpe do voto em lista fechada é simples: botar a culpa no fim do financiamento empresarial. Dizem que com o financiamento público (substituindo o financiamento empresarial) sobrou pouca grana. Daí, a única forma de administrar bem essa graninha é com o voto em lista fechada.

A primeira coisa a se dizer é que isso é pura conversa fiada. A segunda coisa é: o que eu tenho com isso? Não sou o responsável por encerrar o financiamento empresarial. São os parlamentares. Eles que resolvam o problema.

O diálogo pode ser assim:

  • Parlamentar: Precisamos de voto em lista fechada, por que acabou o financiamento empresarial.
  • Eleitor: Problema seu. Não é problema meu.
  • Parlamentar: Mas temos pouca grana para campanha.
  • Eleitor: Resolva o problema. Imploda o financiamento público e retorne com o financiamento empresarial.
  • Parlamentar: Mas não há clima…
  • Eleitor: Crie o clima. O problema não é meu. É teu.
  • Parlamentar: Não é fácil criar o clima.
  • Eleitor: Inove. Supere-se. Adapte-se. (by Clint Eastwood, no filme Hearbreak Ridge)

E assim por diante.

Os deputados que estão falando em “voto em lista fechada” estão apenas querendo te enrolar, uma vez que eles já tem como resolver o problema: retornar com o financiamento empresarial e acabar com o financiamento público.

Lista fechada é golpe contra a democracia. Já temos um Congresso repleto de corruptos. Eles ainda querem deixar essa gente fazer “listinhas” que os eternize no poder? E ainda possuem a cara de pau de dizer que “não tem outra opção”?

Foram essas figuras que não implodiram o financiamento público e ao mesmo tempo deixaram o STF proibir o financiamento empresarial. O argumento é que “o STF vetou”. Mas bastaria o Congresso aprovar uma emenda constitucional para vetar o financiamento público e retomar o financiamento empresarial. Logo, voltamos à tecla do “problema seu (dos parlamentares)”.

Precisamos encarar essa questão como se fosse uma guerra: aprovar voto em lista fechada e manter o financiamento público é um ataque à democracia e um cuspe na cara do povo. Vamos tolerar?

É basicamente isto que temos a dizer ao Sr. Rodrigo Maia e qualquer outro que fale em “lista fechada”: “Não admitimos! Resolva o problema do financiamento público! Extermine-o! Retorne com o financiamento empresarial! Dica final: problema é teu, não meu”.

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 10
  • comment-avatar
    Leandro Campos 3 meses

    Melhor ainda, sem financiamento público ou empresarial e vivam com o que arrecadam de seus filiados seus … , calma, calma

  • comment-avatar
    Diego 3 meses

    PARABÉNS, LUCIANO! Poucas matérias publicadas aqui foram mais importantes do que essa! O voto em Lista Fechada SE aprovado, significaria que Eunício Oliveira, Humberto Costa, Renan Calheiros e o resto da corja pendurada na lavajato iriam ser reeleitos INDEPENDENTE da nossa vontade! Isto não pode passar! Fica aqui, ótimo link a esse respeito:
    http://www.conjur.com.br/2017-mar-20/mp-debate-voto-lista-fechada-golpe-democracia

  • comment-avatar
    DAGC DAVID 3 meses

    o fim do financiamento empresarial é na verdade o FIM do financiamento VOLUNTARIO.

    Agora querem colocar um LIMITE maximo por CPF.

    Fisco para financiar campanhas politicas só existe em BUTAO e querem colocar essa desgraça no Brasil – BUTAO E BUNDAO (o nosso apelido perante o mundo).

    É a turminha esquerdinha muito afim de fazer farra com as verbas do esfoliado pagador de impostos!

  • comment-avatar
    Helder 3 meses

    Mesmo que o financiamento seja com recursos públicos, bastaria aos partidos dividirem o que lhe coubessem em partes iguais dentre seus candidatos. Com isso, cada candidato faria sua própria campanha. “Ah, mas desse jeito as campanhas seriam inviáveis pelos pequenos valores para cada candidato…”, poderia alegar alguém. Ué, mas será que não é exatamente isso que a maioria da população deseja: campanhas mais baratas? O que acha disso, Luciano?

    • comment-avatar

      Helder,

      A meu ver, isso é uma capitulação. A luta deveria ser contra o financiamento público sem aceitar qualquer argumentação em favor dele. Até lá, é só paulada nos deputados que não mudarem a lei.

      Abs,

      LH

  • comment-avatar
    Marcos 3 meses

    O Reinaldo Azevedo, que sempre foi um crítico ferrenho do voto fechado, mudou em 180 graus o seu posicionamento e está apoiando integralmente o golpe, inclusive a parte de roubar dinheiro da população para dar aos políticos.

    Entendem por que eu digo que o homem é um anti-liberal? Proponho um exercício objetivo: nos últimos meses, quando foi que Reinaldo teve uma opinião contrária ao establishment político em um tema relevante? E por quantas vezes ele mudou antigas posições liberais e conservadoras para se alinhar com esses grupos? Afinal, quando ele esteve do nosso lados nos temas fundamentais?

    Conhece a ti mesmo e conheça o inimigo e não temerá 100 batalhas. Para entrar nessa batalha, é necessário no mínimo saber quem é aliado e quem é inimigo. Essa questão é gravíssima.

  • comment-avatar
    Marco 3 meses

    Vcs querem o bolsa candidato então ? Sim, financiamento público e lista aberta vai dar em milhares d candidatos pegando grana do erário e passando recibo falso de gastos. Não adianta que o financiamento empresarial não vai voltar. Sem nenhum financiamento o congresso vira um culto evangélico e os políticos de todas as tendências e não apenas os jeans wilieses da vida. não querem isso. Lista pré-ordenada é vital para partidos ideológicos. Pelo jeito não há nenhum na direita, ainda que a moda seja ativismo digital conservador. Problema de vcs.

  • comment-avatar

    lista fechada é um tiro no pé dos politicos, com lista fechada quem votaria em psdb, pt, pmdb e afins, abriria caminho para a renovaçao na politica

  • comment-avatar
    Juarez Dionizio de Araujo 2 meses

    Na verdade a lista fechada já tá quase implantada com o sistema proporcional vigente. Em que a maioria dos eleitos não são os que tiveram mais votos.

  • comment-avatar
    Antônio Carlos de Araújo 2 meses

    Tenho uma solução simples e prática para este problema: Implantem o voto distrital já! O custo para eleger um deputado federal será a 10a. parte do que se gasta hoje. Simples assim.

    Porque tão barato assim? O candidato vai disputar o voto em um Distrito e o custo de logística, assessores, putas, combustíveis e o escambo estará resumido a um espaço físico que muitas vezes o sujeito vai até a pé ou de bicicleta para sua campanha. Nestas condições não faltarão doadores pessoas físicas pois não será preciso grana dos empresários corruptores.