Obama pede “respeito à democracia” após ter implementado terceira onda de totalitarismo do mundo

Obama pede “respeito à democracia” após ter implementado terceira onda de totalitarismo do mundo

Não chega a ser surpreendente, dado que o cinismo é marca registrada da esquerda, mas ainda assim é incrível ver tamanha cara de pau.

O ainda presidente Barack Obama, em discurso de despedida, pediu “respeito a democracia”. É uma ironia, a propósito, que tal discurso tenha sido feito logo após Meryl Streep (que é Democrata e foi cheerleader de Hillary) desrespeitar a democracia diante de todo o mundo. Afinal, o respeito a democracia inclui o respeito aos eleitores de Trump e até a ele próprio. Ou não? Fazer propaganda de estigmatização de metade do povo americano – tentando colocar pessoas que pedem controles sobre imigrantes ilegais contra todos os imigrantes, a partir da distorção – é fascismo da pior extração.

Sem mencionar as inúmeras evidências de que seu partido trapaceou durante a campanha, aparelhando toda a imprensa americana, e sem mencionar o uso de seu poder como presidente para influenciar o FBI a deixar Hillary Clinton escapar da Justiça, Obama foi o presidente americano que passou mais distante do que podemos chamar de democracia. Ele foi quem deu início à terceira onda de totalitarismo no mundo, a propósito.

A primeira onda de totalitarismo do mundo moderno foi desenvolvida por gente como Stalin e Hitler. Era baseada na coerção violenta. Funcionou para os tiranos em uma época em que as comunicações eram limitadas.

A segunda onda de totalitarismo veio após a queda do Muro de Berlim e com o advento das comunicações em larga escala: é a tirania sutil, utilizada hoje atualmente na Rússia, na China e em países bolivarianos, como Bolívia, Equador e Venezuela, e até se iniciou no Brasil e na Argentina, respectivamente nos períodos de Dilma Rousseff e Cristina Kirchner. Este modelo é abordado no livro “Escola de Ditadores”, de William J. Dobson.

A terceira onda de totalitarismo se iniciou por iniciativa de Barack Obama, Hillary Clinton e George Soros e veio para funcionar para os tiranos em um mundo no qual a Internet está vencendo os tradicionais meios de comunicação. Este modelo é baseado no uso de “fact checkers” partidários para definir o que é ou não é “fake news”. Foi implementado rapidamente nos últimos meses de 2016, e se torna a maior ameaça à democracia no mundo moderno. A luta contra essa terceira onda de totalitarismo começa agora.

Além disso, Barack Obama fortaleceu o terrorismo islâmico, que também é antidemocrático, e estabeleceu uma linha de perseguição a qualquer um que ousasse proferir opiniões diferentes do status quo de extrema-esquerda. Através de seu discurso segregador, movimentos como Black Lives Matter, responsável direto por aumentar a tensão racial nos EUA e até mesmo responsável indireto pelas mortes de jovens negros e de policiais. Até para que a esquerda consiga o poder a partir de tanto barbarismo, ele vai depender da censura.

Eis que o discurso de Barack Obama é de um cinismo psicopático: ele falou em “defender a democracia” mesmo tendo se tornado seu maior inimigo na atualidade.

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 4
  • comment-avatar
    Henrique 2 meses

    Excelente, Luciano! Já li centenas de textos seus e esse foi um dos melhores! Sintetizou muito bem o que esse homem fez e representa. Péssimo presidente e péssimo ser humano.

  • comment-avatar
    RAFAEL FRANCA DE SOUZA 2 meses

    Luciano, você poderia fazer um texto mais longo sobre as 3 ondas do totalitarismo.

  • comment-avatar
    Debora 2 meses

    Faço das palavras do Henrique as minhas. Texto excelente.