Será que Janot transformará sua luta em favor da ideologia de gênero em “luta pela Lava Jato”?

Será que Janot transformará sua luta em favor da ideologia de gênero em “luta pela Lava Jato”?

A PGR iniciou uma ofensiva contra leis municipais que proíbem o ensino de “ideologia de gênero” nas escolas mantidas pelas prefeituras. Adotando a narrativa da extrema-esquerda, o PGR Rodrigo Janot diz que as leis que tentam proteger alunos de doutrinação “têm fundo religioso e estimulam o sofrimento, violência, marginalização e evasão escolar de homossexuais”. As cidades alvos da ação incluem Novo Gama (GO), Cascavel (PR), Paranaguá (PR), Blumenau (SC), Palmas (TO), Tubarão (SC) e Ipatinga (MG).

Entre as narrativas adotadas por Janot, está uma dizendo que leis que tentam evitar a doutrinação contrariam o objetivo constitucional de “construir uma sociedade livre, justa e solidária”. O procurador-geral da República diz ainda que as leis impõem “concepção moral de marcado fundo religioso”.

Segundo ele, cada uma das sete leis “é obscurantista, porque almeja proscrever o próprio debate sobre uma realidade humana”. Além disso, veda ou pretende vedar “qualquer abordagem de temas ligados à sexualidade que não seja para reafirmar uma inexistente equivalência entre sexo e gênero e para ignorar quaisquer realidades distintas da orientação sexual heteroafetiva”.

Sem trazer qualquer evidência, ele ainda diz que o “não reconhecimento social da diversidade sexual acirra condutas discriminatórias que se repetem também no espaço da escola”, transformando-o em local “de sofrimento e violência para a população LGBT, provocando evasão escolar, marginalização e outras formas de violência”.

Em relação contra a lei do Novo Gama, o relator, ministro Alexandre de Moraes, já tomou inclusive decisão negando seu prosseguimento. Ele sequer analisou o mérito do pedido, porque entendeu que o Ministério Público deveria ter questionado a lei municipal primeiramente no Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO), o que não chegou a ocorrer. As outras seis ações, protocoladas na semana passada, estão com outros relatores, que ainda não tomaram nenhuma decisão. São eles: Luiz Fux (Cascavel), Luís Roberto Barroso (Paranaguá e Palmas), Edson Fachin (Blumenau), Rosa Weber (Tubarão) e Gilmar Mendes (Ipatinga).

“Oficie-se ao Procurador-Geral de Justiça do Estado de Goiás para que, ciente do teor da presente arguição, tome as medidas que entender cabíveis em face do ato impugnado perante o Tribunal de Justiça do Estado de Goiás”, escreveu Moraes em decisão tomada em 30 de maio deste ano.

As informações são do Jornal Extra e trazem um novo problema para aqueles setores da direita que acreditaram na narrativa de que a Lava Jato depende de Rodrigo Janot (o que é falso).

Também se sabe que a bancada evangélica não aceitaria o autoritarismo de Janot neste caso.

Basicamente, este pode se tornar um evento caótico para Janot. A frente janotista vai sair em defesa de Janot e chamar a bancada evangélica de “inimigos da Lava Jato”. Porém, isso trará uma sensação de indignação (pois a acusação será injusta) na bancada evangélica. E vai animar o PSOL para lutar junto com a frente janotista que inclui até algumas pessoas de direita que caíram no canto da sereia de que “Janot é a salvação da Lava Jato”.

O processo já não pode ser parado, pois as emoções dos janotistas estão incontroláveis. O negócio é expor as contradições de Janot e de todos os seus defensores nesta questão.

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 3
  • comment-avatar
    Carlos 5 dias

    Esse Janot lixo, além de tudo, é boiola? Não sabia, mas já desconfiava, pela cara…

  • comment-avatar

    É como a fábula do sapo e do escorpião: é da natureza do escorpião picar e envenenar, ainda que isso lhe custe a vida.

    Janot teve seus bons momentos; sofreu algumas injustiças e ataques sórdidos, isso é fato. Mas no fundo, sempre foi o escorpião pronto para picar o sapo que lhe auxiliava.

  • comment-avatar
    studiozbr 3 dias

    No momento em que ele decretou que Lula e Dilma não tinham cometido crime nenhum antes mesmo de iniciar a investigação ele já havia caído em descrédito. Não sei como conseguem ver os “bons momentos” desse porco.