Esquerdista Symone Sanders se recusa a rotular tortura em Chicago como crime de ódio

Esquerdista Symone Sanders se recusa a rotular tortura em Chicago como crime de ódio

A esquerda norte-americana parece ter ligado o botão da psicopatia total após a divulgação do vídeo de tortura, no qual quatro esquerdistas torturam um eleitor de Trump.

Mesmo que, na defensiva, Symone Sanders – que atuou como estrategista de Bernie Sanders por um tempo – tenha reconhecido que o vídeo é perturbador, ainda encontrou espaço para um discurso de atenuação capaz de assustar os piores monstros da humanidade.

“[…] eu vou dizer algo que provavelmente não é muito popular. Não podemos ser insensíveis ao classificar algumas coisas como crime de ódio. O motivo aqui importa”.

Symone alegou que os agressores podem ter sido motivados por “ódio” de Donald Trump: “Então, tudo isto aconteceu por ódio de Donald Trump, quero dizer, pelas coisas que ele disse?”, ela perguntou. “Ou puro ódio de pessoas brancas? Isso importa, pois se começarmos a classificar agressões de pessoas que mencionam o presidente eleito Donald Trump ou até mesmo o atual presidente Obama por suas inclinações políticas, então entramos em território escorregadio”.

“Isso não é um crime de ódio”, disse: “Os crimes de ódio acontecem por causa de etnia, raça, religião, sexo ou deficiências. Mas caso alguém não gosta de sua inclinação política e o agride, isto não é um crime de ódio”.

Em Novembro, Symone também emitiu narrativa similar para negar que outro vídeo igualmente de Chicago – no qual um bando de esquerdistas batia em um homem branco por ter votado em Trump – configurava crime de ódio.

Porém, como vimos aqui, a polícia de Chicago não caiu na conversa: os quatro criminosos esquerdistas foram indiciados também por crime de ódio.

Symone é mais um exemplo de esquerdista que demonstra postura de psicopata diante dos crimes cometidos por aqueles ao seu lado político.

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 2
  • comment-avatar
    fnd 2 semanas

    “[…] eu vou dizer algo que provavelmente não é muito popular. Não podemos ser insensíveis ao classificar algumas coisas como crime de ódio. O motivo aqui importa”.

    Tradução: não podemos dizer que foi crime de ódio pois crimes de ódio foram legislados para controlar a maioria da população e não grupos minoritários como os marginais torturadores.

  • comment-avatar

    Sinceramente não sou nem de esquerda, nem de direita porque para mim são todos saqueadores do dinheiro alheio. Mas essa gente (ESQUERDA) está me dando nojo. Em qualquer lugar do mundo o discurso é o mesmo. “Do lado deles pode”.
    Que gente nojenta